A Morte da Consciência

“Textos básicos : I Tm. 1:19, Mateus 14 e Lucas 23″

O famoso escritor, Arthur Conan Doyle, autor das famosas estórias, “Sherlock Holmes” e “Mundo Perdido”, era um terrível brincalhão. Certa vez, ele enviou uma carta anônima a uns de seus melhores amigos. A carta dizia, Fuja depressa! Tudo foi descoberto. Dentro de 24 horas, todos aqueles seus amigos haviam deixado o país.

Na verdade, nada foi realmente descoberto, mas essas pessoas se sentiam tão culpadas de algo que, saíram do país o mais rápido possível.

Certa feita, um homem procurou o seu médico pois não conseguia dormir. A sua consciência o atormentava. O médico então perguntou: O Senhor gostaria de algo que o fizesse dormir? Um calmante talvez? O homem imediatamente respondeu: “Não, eu quero algo que anestesie a minha consciência”.

Muitas pessoas querem exatamente isso, algo que enfraqueça a sua consciência, algo que a anestesie. Mal sabem que, enfraquecendo-a, iniciar-se-á o processo da morte de sua própria consciência.

Nas linhas abaixo, refletiremos sobre a história de um homem cuja consciência estava morta. E essa, é a história da vida e morte da consciência. Esse homem, em particular, não tem desculpas. Isso porque ele teve como conselheiro pessoal, como amigo, o maior de todos os profetas bíblicos. Seu amigo foi João Batista e, o homem de quem lhes relato, foi o rei Herodes. Relembremos um pouco de sua vida.

Nós observamos no texto bíblico como, Jesus Cristo esteve na presença de Pôncio Pilatos; quando os líderes religiosos queriam condená-lo, ele, Pôncio Pilatos, recusou-se a fazê-lo. Mas, procurando uma saída para esse dilema, ele notou que Jesus era galileu e, então ali, vislumbrou uma saída para o seu problema, pois a Galiléia era da jurisdição de Herodes. Enviando Jesus para Herodes, ele não teria que resolver esse problema entre Jesus e os líderes religiosos.

Bom, nossa reflexão não é sobre Pilatos, mas sim sobre Herodes e então, observemos o texto de Mateus 14:1-6. Esse fato ocorreu após Jesus iniciar o seu ministério público, seu nome estava nos lábios de todos; sua vida impactava a todos; mortos ressuscitavam, paralíticos andavam, surdos ouviam, cegos viam, mudos falavam, possessos eram libertos.

Herodes, não possuía sua consciência morta, ainda… pensava que Jesus era João Batista ressurreto dentre os mortos e que o estava a assombrá-lo. O mesmo João Batista que ele matou.

Conforme nos relata o evangelista Mateus, em 14:1-6, quem é esse Herodes? Nós encontramos no NT, vários Herodes. Eles não são o mesmo homem, pois Herodes refere-se a uma dinastia. Certamente, a uma dinastia corrompida, mas… uma dinastia.

O primeiro a observarmos, era Herodes, o grande. Esse era o que estava no comando, quando os magos vieram do oriente, seguindo a estrela, em busca do Rei dos Judeus”.

Ele não foi chamado de o grande, por causa de sua extraordinária bondade, ou porque ele era um rei maravilhoso, ou porque talvez tenha erigido grandes e majestosas obras; diga-se de passagem que, ele reconstruiu o templo dos judeus, assim como reconstruiu a grande fortaleza de Massada, mas ele também ficou conhecido pela sua paranóia, pelas suas fraquezas e, como por medo de perder o governo, executou membros de sua família.

Herodes Antipas, filho de Herodes o Grande, era tão perverso quanto o pai. Ele era cruel, vingativo e imoral. Sua consciência estava morrendo. Aqui, claramente observamos aquela pérola popular, “o fruto não cai longe da árvore, ou filho de peixe, peixinho é”.

Quando João apareceu em cena, foi algo incrível, pois Israel atravessava um período de silêncio profético. Isso significa que Israel passou um período de 400 anos sem que Deus se manifestasse ao povo de Israel através dos profetas.

Surge então nesse cenário, João Batista. Esse era poderoso, aonde ele passava levava multidões. Era como umaestrela do rockdos dias de hoje. Se vestia de maneira única, uma roupa feita de couro (pele) de camelo. Tinha também uma dieta toda especial, gafanhotos e mel, o que o tornaria um perfeito “garoto propaganda” das mais populares dietas atuais.

Possuía uma característica especial, ele falava a verdade. Não se impressionava com os cargos, transmitia a palavra de Deus, exatamente como a recebia e… a quem tivesse que ouvi-la.

Numa breve comparação entre João e Herodes, podemos dizer que João era tudo aquilo que Herodes não era. Como por exemplo: João era um homem seguro, incorrupto, humilde, se importava com o que Deus pensava dele e que, até o fim, manteve sua consciência mesmo perdendo a sua cabeça. Herodes por sua vez, era um homem inseguro, corrupto, orgulhoso, que se importava com a opinião dos outros. Perdeu a sua própria consciência e tirou a cabeça de João.

A bíblia nos relata que dentre os nascidos de mulher, não há nenhum maior do que João Batista. Maior do que Elias, Isaías, etc. Pois ele preparou o caminho do nosso Senhor Jesus Cristo.

Percebemos em Marcos 6:20, que Herodes o temia e o respeitava. Mas, Herodias o odiava. Percebemos também, que Herodes e Herodias, tinham uma relação muito bizarra.

Ela era a esposa de Herodes Filipe, irmão de Herodes Antipas. Herodes a seduziu, quando ainda era esposa de Filipe. Mas a coisa não para por , pois ela era filha de um meio-irmão de Herodes, o que a tornava sua sobrinha. Isso seria um grande episódio de Jerry Springer show, ou mesmo do Ratinho”.

Mas se isso não fosse mal o suficiente, ele também se “encantavacom a filha de Herodias, a Salomé. O interessante é que, Herodias sabia de tudo isso.

João Batista, alertou Herodes: isso é uma loucura, você está totalmente errado” (Mc. 6: 18), “você precisa se arrepender. Herodes o respeitava e também, ao que ele dizia, e o admirava porque ele falava a verdade com ele.

Se fosse nos dias de hoje, talvez João ouviria de alguém: “Você deve ser mais diplomático, você precisa mantê-lo como amigo, ele pode impulsionar o seu ministério. Você precisa falar com mais cuidado; a maneira que você fala espanta as pessoas, afinal as pessoas procuram ouvir uma palavra de Deus. Essa palavra tem de ser de conforto, motivação, do tipo assim…, para nos colocar no colo, nos fazer carinho, um cafuné. Uma palavra que faça com que nos sintamos bem.

Mas João não se importava com isso. Precisamos urgentemente de mais pessoas como João Batista pelo mundo, nas tribunas, nos congressos, nos púlpitos, em todos os lugares.

João Batista era honesto com Herodes e eu acredito que ele era o verdadeiro amigo de Herodes, porque ele lhe dizia a verdade. Agora, querido leitor, preste atenção, se você tem um amigo que lhe fala a verdade, não perca este amigo. Você não precisa de alguém que ria de todas as suas piadas, que o ajude a esconder os seus erros, que te aconselhe a ser politicamente correto, ou que o cubra de elogios. Você precisa de alguém que lhe diga, que isso ou aquilo é uma péssima idéia, ou te diga que a idéia é fantástica e que você deve seguir em frente.

A bíblia nos fala em Provérbios 27:6 que “Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos”, ou seja, o verdadeiro amigo quer o nosso bem, mesmo quando nos fere; mas, quando um inimigo abraçar você, tome cuidado. O verdadeiro amigo lhe dirá a verdade, sempre na sua frente, olho no olho, nunca pelas costas.

Herodes estava tão impressionado com João que havia feito algumas mudanças em sua vida; Marcos 6:20 nos informa que ele ouviu João e fez muitas coisas. Eu não sei o que ele fez. Mas não foi o suficiente… nada do que você faça sem primeiro se render a Cristo, será o suficiente.

Conheço algumas pessoas que afirmam eu preciso acrescentar um pouco de religião em minha vida, preciso de um ritual”. Veja bem, você não precisa de um pouco de religião, você precisa muito, de Jesus. Essa é a única resposta. Um pouco de religião, não funcionará; aliás, pode fazer as coisas ficarem piores, muito piores.

Se você não é um seguidor, um crente em Cristo, que tenha entregado a sua vida a Ele, você permanece separado de Deus. Lembre-se das palavras de Jesus, quando disse que, quem não é por Ele , é contra Ele.

Herodes gostava de João, e o admirava, admirava a sua coragem. Mas Herodias não compartilhava esse sentimento (Marcos. 6:19) e por isso, queria matá-lo. Isso era sério, tão sério quanto um ataque cardíaco. Ela não queria João silenciado, ela queria João morto.

Herodias conhecia Herodes muito bem. Ela sabia que ele se embebedava frequentemente, sabia que ele era um imoral e sabia também que, ele se interessava pela sua filha.

Então ela teve uma brilhante idéia. Vou deixa-lo bem bêbado e vou usar a minha filha, Salomé para seduzi-lo. Aí, ele nos oferecerá aquilo que quisermos.

Não dá para entender como uma mãe faz uma coisa dessas. Pai e mãe cuidam de seus filhos. No caso dela ela deveria cuidar de sua filha, ser uma mãe, mas ela, como uma cafetina, estava agenciando a sua própria filha.

Filhos precisam de pais. Pais, sejam responsáveis para com os seus filhos. Atenção pais, é tempo de crescer. Cresça e envelheça com e na graça do Senhor.

Quando você estiver mais madurovocê terá uma rodada especial para trabalhar, junto aos mais novos e não levando uma vida de fofocas, mexericos, bisbilhotando e falando da vida dos outros, mas sim sendo modelo de bondade, sendo uma boa filha, uma boa esposa e consequentemente uma boa mãe. Herodias, certamente estava muito longe disso.

Agora, voltemos a Mateus 14:6, no “Aniversário de Herodes. O rei poderia recusar o pedido, mas como ficaria a palavra dele, perante a meninae, perante os convidados? João estava a poucos metros dali, trancafiado na prisão do palácio. Não demorou muito e, a cabeça de João foi entregue a ela num prato e ela, a levou à sua mãe.

Que loucura! Porque ele mandou matar o seu único amigo? Nós podemos elencar dois motivos: a luxúria sexual e, o desejo de impressionar e agradar outros.

Talvez você não entenda o porque ele fez isso, mas posso lhe afirmar seguramente que foi por ele estar sob o controle da luxúria. A luxúria é poderosa, vemos maridos abandonando a esposa e os filhos; esposas abandonando as suas famílias porque se envolveram com alguém.

Isso tudo começa, hoje com uma pequena brecha. Talvez algumas fotos na internet e amanhã, de virtual, o adultério passa a ser real, o abandono do lar.

Não alimente a luxúria, pois quanto mais você a alimenta, mais ela se torna forte e insaciável.

Agora João estava morto, não havia mais as conversas com João. Talvez a sua mulher o dizia, Herodes, descanse pois agora não há mais ninguém a nos recriminar”. João já se foi.

Esse é o problema, João se foi e a sua consciência também começou a morrer. Nesse momento, ele também recebe notícias sobre Jesus. Alguém que tem feito milagres, dito coisas maravilhosas. Herodes, por causa de sua consciência culpada, logo pensa, é João, e ele voltou para me assombrar.

Talvez Herodias tenha dito, não se preocupe sobre ele. Mas Herodes sabia que ele havia matado João (Marcos 6:16). “Esse é João, aquele que eu matei. Ele poderia culpar Herodias, Salomé, a bebida; mas ele assumiu fui eu; e ele se sentia tão culpado que, ouviu muito mais de João morto do que quando ele estava vivo. Ele tinha uma consciência culpada.

Isso acontece porque os nossos pecados nos perseguem e um dia nos encontrarão frente a frente. Sabe, aquele pecado não confessado, aquele que você não se arrependeu, nós pensamos que eles jamais nos alcançarão. Nós não acreditamos nas repercussões do pecado.

Herodes então ouve de Jesus e o convidaa estar com ele imediatamente. O que Jesus responde? “Vão dizer àquela raposa: Expulsarei demônios e curarei o povo hoje e amanhã, e no terceiro dia estarei pronto”.

Quando Herodes ouviu isso provavelmente disse: Eu sabia, é João! Somente João diria algo tão louco para mim”. Não, não era João, mas Jesus.

Em Lucas 23: 8-9, encontramos o momento em que Jesus e Herodes estão frente a frente. Observe que Herodes nunca ouviu a voz de Jesus. Pilatos sim, mas Herodes não. Jesus não falou com ele. Observe também que o interesse de Herodes era o entretenimento, ele queria ser impressionado, afinal … “ eu sou Herodes, faça algo para mim.

Mas Jesus não fez nada. Porque? Pois o coração de Herodes, já havia passado do limite. Observe o texto João 2:23-25 e perceba que, por amar as coisas deste mundo, desprezando a fonte da vida que ali estava à sua frente, Herodes calou e condenou a sua consciência. Não desperdice a sua chance. Existe um limite.

Mas como isso acontece? Começa com as pequenas coisas, pequenas concessões e depois isso se transforma. Você ignora e isso se transforma em grandes coisas. Mas você pode pensar, “está tudo bem!Você não se arrepende, não confessa, tenta encobrir levando a sua vida “normalmente dentro dessa anormalidade” e isso toma forma, cria um calo, se endurece, se torna resistente. Você precisa se chegar a Deus e pedir que ele torne a sua consciência limpa. Clame para que ele coloque-a para funcionar novamente.

Em I Tm. 1:19, encontramos queconservando a fé, e uma boa consciência, a qual alguns havendo rejeitado, naufragando no tocante à fé”.

Sempre deixe a sua consciência limpa. O meu pai, antes de sua conversão, sempre dizia em outras palavras que: o importante era encostar a cabeça no travesseiro e dormir em paz, ter a consciência limpa. Pessoas que tenham de alguma forma maculado a sua consciência, não conseguem. Sempre acordam com o bater da meia noite.

Deus tem falado com você através de sua consciência? Como está a sua fé? Ela tem naufragado? O que você tem feito? Vá a Jesus. Somente Ele pode limpar a sua consciência e torna-la sensível novamente (Hb. 10:22).

O que você precisa fazer? Veja qual é o pecado que o persegue. Clame a Deus e confesse o seu pecado, e ele o purificará (I Jo. 1:9).

Nós precisamos do evangelho. Sabe o que ele diz? Nós pecamos, nascemos em pecado e por isso estamos separados de Deus. Somente através do sacrifício de Cristo, podemos nos achegar a Deus. O que é preciso? Algo muito simples, um arrependimento e uma confissão sincera do nosso pecado.

Que o nosso Senhor Deus, nos abençoe e nos dê a paz. Amém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *