O que é um casamento e… O que ele não é…

(Gênesis 2:24)

Alguém já disse que o casamento é como moscas numa janela. As que estão do lado de fora querem entrar e as que estão do lado de dentro querem sair. Diante de afirmações como esta, a pergunta que eu tenho é: porque tantas pessoas que se casam com tão boas intenções, terminam em um tremendo desastre? Em minha jornada, presenciei tantos casamentos que em momento algum demonstraram querer viver tão miseravelmente. Mas eu vi vários casamentos que terminaram divórcio.

Se um avião que sai do Brasil para os EUA, desviar um grau somente de sua rota, jamais chegará ao seu destino, mas sim, chegará em qualquer outro lugar.

Meditando um pouco sobre o casamento, entendemos que seu verdadeiro sentido é o de revelar a Deus. Ele é como um espelho refletindo a imagem de Deus. Infelizmente hoje não vemos essa imagem sendo refletida, percebemos que alguns espelhos estão “meio embaçados”. Por isso, será melhor olharmos o manual de instruções do fabricante, bem no comecinho para entendermos o funcionamento do casamento. A Bíblia em Gênesis 2:24, nos dia: “Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne.[1]

Nesse texto, encontramos algumas lições preciosíssimas, que darão luz sobre o porque de se casar e o porque de não se casar:

• Deixar – O homem deve deixar seu pai e sua mãe – Significa que o casamento cria um “espaço sagrado” onde a fé pode e deve ser demonstrada. Onde a lealdade é transferida da mãe e do pai para a esposa e, essa lealdade é muito forte. Esse casal ao criar esse espaço, não mais olhará para a “mamãe” e para o “papai” em busca de orientação e direção, mas permanecerão firmes em lealdade com os laços familiares. Isso não é somente uma questão geográfica mas, psicológica. Existem alguns pais que são controladores e manipuladores, que através da vergonha e da culpa querem continuar manipulando os filhos após o casamento. Se isso acontece com você, você não deixou seu pai e a sua mãe. O novo casal, precisa estabelecer as fronteiras, pois certos pais querem promover o caos no relacionamento dos filhos. Interessante que essa ordenança não foi dada à mulher, mas sim ao homem. A Bíblia é tão acurada sobre a natureza humana, perceba que na grande maioria dos casos que, o homem não corta os laços com os seus pais. A mulher é mais submissa em termos da liderança de seu marido. Existem casos de homens que durante a lua de mel, telefonam para a mãe todos os dias e, muitas outras histórias como esta. Dan Allender[2] citou certa vez que “nós homens, podemos honrar aos nossos pais somente se, primeiramente criarmos os limites apropriados para servir e proteger nossa esposa”. Você deixa pai e mãe. Mas, você deve deixar muito mais do que pai e mãe. Você deve deixar também aquela namorada do passado. Esqueça essa história de vou checar no “facebook” para saber o que ela está fazendo, como ela está agora… Não comece a fantasiar como seria se estivessem juntos agora, como seria se vocês tivessem se casado. Diga-se de passagem que o Facebook é o carro chefe das causas de divórcios de hoje em dia. Qualquer problema que ocorre num casamento, algumas pessoas começam a fantasiar e, com um empurrãozinho do Facebook… Afinal, como seria se tivesse se casado com a sua colega da faculdade? Quando você caminha para o altar, você quebra todas as correntes que te prendiam e todas os relacionamentos de sua vida ficam para trás, claro que a pornografia também. Todas as coisas que possam se opor ao relacionamento sadio entre um homem e uma mulher, devem ser postas para trás. Eu não digo que você deva ser perfeito para se casar, afinal… se isso fôsse um pré-requisito, ninguém estaria casado hoje. O que eu digo é que, quando ocorre o período da paquera, que é fantástico, não simule ser quem você não é, como exemplo, a namorada que diz: “oh, você gosta de futebol também? Que coincidência, eu amo futebol, mas… depois do casamento…” quando a máscara cai. Por isso que dizem que o casamento é como uma chamada telefônica no meio da noite, “first you got the ring and them you wake up”. Com o casamento, você descobre que tem muito mais… pois a bagagem só chegará depois do carro e, não antes. Se você não resolver o problema com os fantasmas, eles o perseguirão. Se você não estiver preparado para deixar, então não se case. Citando novamente, Dr. Dan Allender, “deixar significa realizar vários atos de fé” . Nenhum casamento poderá ser feliz sem a confiança. Ele disse ainda que “o casamento sem confiança é como uma cisterna seca”. Onde se promete satisfação, mas onde a promessa nunca é cumprida. Você precisa confiar seguramente no(a) seu(ua) esposo(a) e, uma vez que, se você perder essa confiança, você deve reconquistá-la, urgentemente. Dr. Allender, ainda nos diz que “a confiança é conquistada em pequenas doses diárias, durante toda a sua vida”. No casamento você também aprende a ser paciente, você aprende a aceitar ao seu companheiro. A noiva quando está para entrar na Igreja ela pensa em três coisas: “Ela pensa no corredor que ela atravessará, ela pensa no altar e ela pensa no noivo”. Em inglês ficaria “corredor-aisle, altar-alter, nele-him”. Mas na verdade ela pensa “I will alter him” (eu vou mudá-lo) . Queridas, vocês não conseguirão mudá-lo! Existem duas máximas no casamento, “o homem casa esperando que ela nunca mude, mas ela muda… e, ela casa pensando que vai mudá-lo e, ele não muda”. Como resultado disso, as pessoas precisam aprender a aceitar as diferenças. Principalmente, pense em todas aquelas coisas que, no começo, você achava tão bonitinhas mas, agora você já não suporta mais.

• Pacto – Algumas pessoas dizem, “para que a formalidade do casamento? Por que devemos ter um pacto? Afinal isso é somente um pedaço de papel”… Imagine você, comprando uma casa. Você visita alguns imóveis e após se decidir, apenas aperta a mão do vendedor e pronto, está consumado, afinal … o que é mesmo um pedaço de papel? Não funciona assim? Normalmente são contratados advogados, gastamos cerca de uma hora assinando documentos, que nos assustam principalmente por não os entendemos o seu conteúdo, mas os assinamos assim mesmo. Mas, porque? Porque após a consumação do negócio, podemos ter o famoso “remorso de comprador”. Quando você entristecido e porque não dizer decepcionado, poderá dizer, “eu não sabia que o telhado tinha infiltrações; eu não sabia que haviam cupins no sótão; eu não sabia que as janelas não fechavam corretamente”. Imagine-se agora, caminhando pela “sua” rua e você descobre que aquela “casa dos seus sonhos” , a poucas quadras de sua casa, está a venda e você diz, “oh, e agora o que eu vou fazer?” Bem…, a vida é dura! Agora o que você tem que fazer é consertar o telhado, contratar um exterminador para eliminar os cupins, talvez tenha que comprar novas janelas. Mas no processo, Deus te fará crescer. Agora, já se passaram seis meses e, sabe de algo? Aquela casa dos seus sonhos, tinha um problema estrutural no porão e ele entrou em colapso. Uau! Isso você não sabia. Você é um sortudo, por não ter comprado aquela casa. Mas nós fantasiamos. Vemos outras pessoas e sempre entendemos que elas estão em melhor posição. Mas a verdade é que isso é somente uma fantasia. Alguns anos atrás, um homem em uma visita ao hospício, andando pelos corredores, encontrou um homem que batia a sua cabeça continuamente na parede e dizia “Cacilda, o que foi que você fez! Cacilda, porque você fez isso?”, o visitante, curioso diante da cena, perguntou ao enfermeiro que o acompanhara, o que acontecera a aquele homem. O enfermeiro relatou: “acontece que ele amou desesperadamente Cacilda, e ela brincou com os sentimentos dele e se casou com outro e, infelizmente ele não conseguiu superar a decepção”. Continuaram então a caminhada. O visitante encontrou outro homem, ao final do longo corredor, que também batia a sua cabeça continuamente na parede e dizia “Cacilda, o que foi que você fez?”. Curioso, o visitante perguntou ao enfermeiro o que acontecera a este paciente e, o enfermeiro respondeu, “bem, esse foi o homem que se casou com Cacilda”. Esse é o mito da grama do vizinho, que sempre está mais verde que a nossa. Digs-se de passagem que, talvez esteja na hora de você cuidar um pouquinho mais da sua própria grama. Preste muita atenção, no minuto em que na sua fantasia, você começa a pensar, como seriam as coisas com aquela pessoa… você está sobre um terreno muito perigoso, ele é como areia movediça.

• Implicações de se tornar uma só carne – Resumidamente, “uma só carne”, significa refletir a Deus, amando a “sua carne” como Cristo amou a sua Igreja, conforme o apóstolo Paulo, em sua Epístola aos Efésios 5:25 nos diz: “Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela”. Exemplificando, a intenção do casamento é revelar a Deus e quando ocorre a intimidade sexual, ocorre não somente a experiência física e biológica, mas a experiência metafísica, o apóstolo Paulo em I Co. 6.16, também nos informa que “ainda que tivermos relações com uma prostituta, em que não haja qualquer sentimento, somente e simplesmente o sexo, já nos tornamos uma só carne”. Uau, a implicação deste ato é extraordinariamente grande. Esse pequeno verso, nos ensina muito mais sobre sexualidade do que todos os livros de todas as bibliotecas do mundo. Uma só carne. Corpo, alma e espírito. Mas se você o fizer sem um pacto, sem um contrato, você está envolvido em um relacionamento de uma só carne também. Mas esse não é um relacionamento santo. O único relacionamento santo, é aquele que está debaixo, protegido, pelo cumprimento de um mandamento. A esposa do Pastor Robertson McQuilkin, sofria deAlzheimer, e ele então decidiu resignar a presidência do Colombian College of Bible, para se dedicar a ela em tempo integral. Ao apresentar a sua renúncia, à liderança do College, foi questionado, apresentando dentre os fortes argumentos, o tradicional…“nós precisamos de você aqui, vie é muito importante aqui” e também, “você pode contratar alguém para cuidar dela, até porque, ela não saberá mesmo quem estará ali”. Mas ele firmemente lhes respondeu, “já tomei a minha decisão, eu a prometi – até que a morte nos separe”. Ele disse que cuidaria dela, e cuidou. Até o dia em que ela faleceu e, ele posteriormente testemunhou, “enquanto eu a observava mergulhando no esquecimento, aumentava a minha certeza de que ela era a alegria de minha vida. Diariamente eu percebia manifestações da mulher que ela era, da mulher que eu sempre amei e percebia também manifestações da graça do meu Deus, do Deus que eu vou sempre amar”. Isso é a definição de “até que a morte nos separe”. Essa é a definição do pacto que você um dia fez quando, quando se casou ou, quando se casará. Mas aí, aparecem alguns dizendo “nós não precisamos deste papel, será melhor assim pois nós poderemos escapar a qualquer momento”. Isso é um relacionamento que não é santo. O relacionamento santo, é aquele em que um homem e uma mulher, são trazidos juntos, por Deus, para se tornarem uma só carne. Isso, evidencia que, o relacionamento é metafísico, e não somente físico. Somente para relembrá-los, a palavra “uma” apresentada neste verso, é a mesma palavra utilizada por Deus, quando Ele se refere à trindade. Mas como os relacionamentos não santificados terminam? As vezes eles funcionam, não há dúvidas; mas com grandes dificuldades. Porque? Pois são sementes plantadas em um terreno repleto de desapontamentos, feridas, e falta de confiança. Quase sempre, terminam em acusações, vergonha e dor, pois não são abençoados por Deus. Bom, você deve estar se perguntando se eu não posso apresentar uma boa notícia, uma esperança. Obrigado por perguntarem. Queridos, não existe possibilidade de se ter um casamento melhor sem ter primeiro um coração melhor. Esse é o segredo. Eu poderia expor aos irmãos, cinco segredos de comunicação, o que poderia ser o suficiente para uns dois dias. Talvez serviriam até você chegar em casa, talvez até amanhã. Mas aí você sabe, você os esquecerá e em cerca de dois dias, você voltará ao início, pois todos nós voltamos ao ponto original. Na verdade estas mudanças, são somente superficiais. Que tipo de coração terá um bom casamento? O meu desejo é que pessoas que tem bons casamentos, tenham casamentos ainda melhores e, que os maus casamentos se tornem bons casamentos. Primeiramente, nós precisamos de um novo coração. O antigo testamento nos fala que Deus removerá o nosso coração de pedra e nos dará um coração novo. Você hoje, tem um coração de pedra? Você está irado? Por acaso você tem sofrido injustiças, e essas injustiças endureceram o seu coração contra contra o seu vizinho, contra a sua família, contra Deus? O evangelho nos diz que se você não nascer de novo, você não poderá ver o reino de Deus. Fato é que Jesus morreu na cruz, não somente para a remissão de nossos pecados, mas para nos fazer novas criaturas. Nós somos novas criaturas em Cristo. Isso é um milagre! Esse milagre é chamado de “novo nascimento”. Se você não o experimentou ainda, você não experimentou o perdão de Deus. Talvez você goste de Cristo, talvez você cante louvores a Ele, no seu jeito. Mas, se no seu coração, você nunca foi mudado por Deus. Então, clame a Deus para receber o precioso presente, que é Jesus entrando em sua vida. Em segundo lugar, nós precisamos de um coração honesto. Possível é, que você tenha um novo coração, porém um coração que ainda não é honesto. No seu relacionamento conjugal, você tem todos esses fantasmas, que nunca foram nomeados e tratados como deveriam ser. Existem pessoas que estão casadas por 25 ou 30 anos, e eles nunca conversaram sobre os problemas que os dividem. Eles vivem juntos na mesma casa, dividem a mesma cama, mas eles já sabem que, “nós não falamos sobre nossos parentes aqui. Nós não falamos sobre o pai dele. Nós não falamos sobre a mãe dela. Nós não falamos sobre as más influências que os parentes exercem sobre os nossos filhos.” Não, nós não entramos neste terreno. Queridos, tenho que lhes dizer que, nós precisam entrar neste terreno. Nós precisam conversar. Nós precisamos que este relacionamento, se torne um relacionamento de respeito, cuidado, confiança, carinho, sensibilidade. Um relacionamento aonde o passado não exista.

• Você precisa de um coração capaz de perdoar – Se você não é capaz de perdoar, não se case. Um certo pastor, sempre perguntava aos aconselhados, no curso preparatório de casais, “imagine você em sua lua de mel numa estação de esqui, está imaginando? Vocês estão felizes, esquiando e ela perde o controle e sofre um acidente. Infelizmente ela fica tetraplégica para o resto da vida dela. Você saberia suportar? Saberia conduzir a situação pelo resto da vida dela? Alguns, olhando nos olhos do pastor, responderam, “sabe, eu não acredito que estou pronto para tal decisão”. Esse mesmo pastor, certa vez, com sua esposa, no saguão do aeroporto, enquanto esperava o seu vôo, ficou com as malas enquanto sua esposa foi comprar um lanche para ambos. A uma certa distância, uma pessoa observava os dois. Observava ao comportamento de ambos, o carinho, respeito e cuidado que demonstravam um para o com outro. Essa pessoa decidiu então se aproximar e iniciou assim um diálogo: “eu estava observando vocês e percebi que vocês vivem muito bem. Eu vou me casar em breve, qual o conselho que você daria para mim?” O pastor então, desconcertado, como num surto de memória, olhando para os lados, demorou alguns segundos para iniciar a sua resposta. Então, antes mesmo que ele abrisse a sua boca, para a sua surpresa e espanto, a sua esposa respondeu: “tenha a habilidade de perdoar, esse é o segredo”. Eu não consigo ver progresso para um casamento, se nele não há humildade e perdão. Bons casamentos se tornam ainda melhores, maus casamentos se tornam bons casamentos. Considere perdoar.

• Finalizando, gostaria de apresentar-lhes partes de uma carta, (obviamente que houve a permissão dos emitentes, apesar de eu não citá-los) uma carta de agradecimento e reconhecimento do trabalho incessante e incansável da Igreja onde eles congregavam. “Prezada igreja, minha esposa e eu reconhecemos que chegamos ao fundo do poço em nosso relacionamento conjugal. O casamento estava em frangalhos, físico, mentalmente e espiritualmente. Um ano, dois anos e enfim, três longos anos, e nesse ponto, muita coisa já havia acontecido. Eu me encontrava, como um homem que está se afogando e não consegue mais subir a superfície. Para uma pessoa como eu, um controlador, que gosta de jogar as cartas certas no momento certo, eu me encontrava em uma situação de total descontrole, como um trem em alta velocidade que descarrilha. Eu orava para que Deus levasse um de nós, ou mesmo nós dois, para que findasse a dor. Mas pela graça de Deus, nosso Pai celestial, que tem tudo sobre controle, mesmo quando não percebemos, Ele não nos atendeu. Nós perseveráramos mesmo sem percebermos que Ele trabalhava conosco. E perseverávamos, e mais um pouco, e ainda mais um pouco. Até que um dia Ele se revelou a nós. Ele se revelou, talvez porque insistimos para que Ele curasse o nosso coração, mais do que qualquer outra pessoa. Ele nos apareceu às 2:30am, quando cantávamos hinos de louvor a Ele; durante uma atividade demoníaca em nossa casa. Diga-se de passagem que, o Diabo quer que o seu casamento se acabe. Deus se mostrou através das mãos e pés de diversas pessoas da igreja que diligentemente estiveram conosco nessa campanha. Nós não sabemos se houveram outras pessoas que separaram o seu tempo para orarem e jejuarem por nós. Nós jejuamos, pois precisávamos de um grande Deus, e Ele se revelou, de uma maneira extraordinária. Outro dia eu perguntei a minha esposa quando foi que nós estivemos assim tão bem, e ela me respondeu que nós nunca estivemos assim tão bem. Nós não somos perfeitos. Hoje, quando nós temos alguma briga, nós não permitimos que ela cresça. Nós genuinamente buscamos uma reconciliação. Nós não somente amamos um ao outro, mas nós gostamos um do outro também. Por algum tempo nós nos amávamos, mas nós não nos respeitávamos. Agora nós também nos respeitamos. Deus fez tudo isso. Agradecemos aos irmãos da Igreja que estiveram conosco e por nós. Jesus pagou o preço por tudo. A Ele, devo tudo. Os pecados foram deixados para trás e Ele realmente me lavou mais branco do que a neve”. Vocês todos perceberam o que Deus pode fazer quando Ele se revela em um casamento? Eu não sei o que Deus tem falado a vocês. Talvez alguns precisam receber a Cristo como Salvador para assim receberem um novo coração. Talvez alguns tenham que ir para casa e ouvir, como nunca ouviram antes, sem qualquer julgamento, somente ouvir. Talvez, alguns precisam conversar, precisam lidar com a dolorosa situação. Mas ao final, quando ocorre reconciliação, você perceberá que o perdão valeu a pena. Talvez alguns de nós tenhamos imensos problemas para perdoar, mas todos nós precisamos de Deus. Precisamos que Ele se revele a nós. Precisamos nos apresentar com honestidade e compromisso. Casamento é isso e começa assim. Que o Senhor nosso Deus nos dê a paz. Amém.


[1] NVI – Nova Versão Internacional
[2] Allender, Dr. Dan, Terapeuta, professor e palestrante Cristão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *